Blog

Livre-se da “curva do esquecimento”

Provavelmente, a maior dificuldade que você pode enfrentar nos seus estudos é a impossibilidade de lembrar de tudo aquilo que estudou. Não podemos guardar tudo o conteúdo que estudamos, mas acredite, é possível amenizar os efeitos da chamada “Curva do Esquecimento”. Para saber sobre mais sobre essa curva, continue lendo o artigo a seguir.

Livre-se da “curva do esquecimento”

Provavelmente, a maior dificuldade que você pode enfrentar nos seus estudos é a impossibilidade de lembrar de tudo aquilo que estudou.

É claro que você se lembra das horas de estudo, da disciplina que estudou, dos livros que usou, mas quando a questão é o conteúdo em si, o esquecimento pode te atingir em cheio.

Você pode até achar que algum problema está acontecendo com você, mas esse esquecimento é mais comum do que você pode imaginar.

O esquecimento é uma coisa comum que acontece no nosso cérebro. Não podemos guardar tudo o conteúdo que estudamos, mas acredite, é possível amenizar os efeitos da chamada “Curva do Esquecimento”.

Para saber sobre mais sobre essa curva, continue lendo o artigo a seguir.

A Curva do esquecimento

Muitos estudantes afirmam que a leitura pouco influencia em seus estudos. Eles costumam justificar isso dizendo que quanto mais leituras fazem, menos assimilam o conteúdo que está sendo lido. Porém, isso não é culpa do método da leitura, mas sim da Curva do Esquecimento.

A Curva do Esquecimento foi descoberta no ano de 1885, por Hermann Ebbinghaus, um filósofo alemão. Essa curva tem a intenção de mostrar como o nosso cérebro reage ao acúmulo de informações ao longo do tempo.

É uma curva literal que ilustra a nossa memória antes, durante e depois de, pelo menos, uma hora de estudo.

Considerando esse tempo de 1 hora, temos que a curva do esquecimento se inicia de um ponto zero e vai crescendo conforme o nosso período de estudo vai passando.

Quando cumprimos uma hora de estudo, a curva do esquecimento atinge o seu nível máximo.

Isso significa que, finalizado o nosso tempo de estudo, a nossa memória está em alta. Ou seja, conseguimos nos lembrar de tudo aquilo o que estudamos.

É nesse momento que a memorização do conteúdo estudado atinge 100% de aproveitamento. Porém, dez minutos depois, a curva já começa a apresentar alterações em sua forma.

Conforme o tempo vai passando, a curva só tende a cair. 30 dias após o estudo em questão, a curva volta para o seu nível mínimo.

Conforme os dias vão passando, apenas uma vaga lembrança daquilo que estudamos permanecerá em nosso cérebro. Preocupante, não?

Diante disso, você pode estar se perguntando como é possível reverter a curva do esquecimento a favor da sua memória. Embora não seja uma tarefa exatamente fácil, você pode sim se livrar da curva do esquecimento.

Como driblar a Curva do Esquecimento

Como já foi explicado no tópico anterior, a chance de que o nosso cérebro sequer reconheça o conteúdo que estudamos é grande depois de alguns dias.

Na maioria das vezes, você terá a impressão de que nunca entrou em contato com aquele conteúdo específico.

O nosso cérebro tem mesmo essa tendência de não se lembrar das informações que não usamos frequentemente. 

Esse é um verdadeiro desafio para você, estudante, que precisa assimilar a maior quantidade de conteúdo que for possível.

A seguir, vamos dar algumas dicas de como você pode se livrar da curva do esquecimento ou, pelo menos, amenizar os seus efeitos sobre a sua rotina de estudo.

Faça Revisões Frequentemente

Embora seja subestimada por alguns alunos, a revisão é muito importante para a assimilação de conteúdo.

O ideal é que, a cada hora de estudo, uma revisão de, pelo menos, dez minutos seja feita.

Se estiver lidando com um conteúdo que considere mais difícil, aumente a periodicidade das revisões.

Para fazer revisões, você pode elaborar resumos da matéria ou até mesmo gravar áudios lendo as partes do conteúdo que você julga serem mais importantes.

Teste a sua Memória

A cada semana de estudo, que tal testar a sua memória?

Há várias maneiras que você pode adotar para testar o quanto o seu cérebro está conseguindo aproveitar do conteúdo estudado durante a semana.

Perguntas e respostas para si mesmo pode ser um ótimo método para isso, desde que seja feito com o mínimo de consulta possível.

Outras formas para testar a sua memória podem ser tentar escrever tudo aquilo de que você se lembra em um papel ou conversar com os seus amigos sobre um assunto relacionado ao conteúdo.

Crie Mapas Mentais

Essa é uma dica frequentemente seguida por estudantes. A criação de Mapas Mentais estimula a nossa criatividade e nos dá mais autonomia de estudo.

Você já tentou criar mapas mentais para otimizar os seus estudos? Se não, tente começar a fazer isso.

 As técnicas que foram apresentadas nesse artigo são úteis principalmente se você estiver em um momento em que precisa assimilar uma grande quantidade de conteúdo a curto prazo.

 

Esse é o seu caso? Então, não perca mais tempo e adote as estratégias aqui sugeridas na sua rotina de estudos.

Fonte:
41 votos

ENEM estuda.com é um sistema para estudantes que desejam ingressar em um curso de nível superior. Resolva questões através do computador, tablet ou celular.vestibular,enem,questoes,estudar,alunos,simulados,questões enem,simulados enem,simulados vestibular,vestibular,provas,provas enem